O que é Hemorróida ?

O que é hemorróida ? Hemorroida nada mais é do que o processo de inflamação e inchaço das veias que ficam localizadas na região do ânus ou do reto. As maiores causas para o aparecimento de hemorroida incluem o típico aumento de pressão nas regiões mencionadas durante o período gestacional ou a necessidade incomum do indivíduo realizar esforço exagerado ao evacuar. Além disso, estão mais sujeitos ao aparecimento de hemorroida aqueles que não se alimentam devidamente, os que têm mais de 50 anos de idade, os obesos, os praticantes de sexo anal e os que possuem histórico familiar dessa condição. Igualmente, resfriados persistentes, diarreias crônicas, infecções na região anal e retal e longos períodos em que o indivíduo permanece sentado se tornam fatores comuns para que a hemorroida surja ou reapareça.

Para se certificar de que está de fato com hemorroida, é preciso se atentar ao surgimento dos seguintes sintomas de hemorróida:

  • Presença de sangue nas fezes ou no papel higiênico após a higienização que segue a evacuação.
  • Dor no ânus ao se manter sentado ou ao defecar.
  • Coceira persistente (prurido) na região do ânus.
  • Presença de fissura ou saliência no ânus (pode ser em forma de nódulos sensíveis).
  • Apresentação de um líquido de cor branca no ânus.

O diagnóstico preciso é feito por um médico especialista. Neste caso, somente o proctologista é capaz de não somente confirmar a existência de hemorroida no paciente por meio da solicitação de exames exploratórios ou clínicos, mas também de prescrever o tratamento mais indicado e eficaz.

Quais são os tipos?

A hemorroida é dividida em 2 grandes grupos. O primeiro diz respeito à hemorroida externa, ou seja, aquela que provém de veias dilatadas e salientes no canal ou no orifício retal devido a formação de um coágulo que impede a plena circulação de sangue. Em sua fase inicial, a hemorroida externa não costuma causar dor ou incômodo, podendo até mesmo passar despercebida pelo paciente. Já quando está em estágio mais avançado, a hemorroida externa provoca perda de sangue no momento de evacuação, fazendo com que a reintrodução da veia ao canal retal se torne bastante dolorida.

Já o segundo grupo contempla a hemorroida interna, a qual é revestida por uma fina camada de pele, altamente sensível. Nesse caso, o sangramento ocorre somente quando há rompimento da veia inflamada. A sensação de coceira é intensa e, na maioria dos casos, surge um nódulo em torno do ânus. A classificação da hemorroida interna leva em consideração seus diferentes graus, os quais variam de acordo com o nível da condição:

  • Hemorroida grau I: não fica exposta por meio do reto ou do ânus.
  • Hemorroida grau II: fica exposta por meio do reto ou do ânus, porém sua redução ocorre de maneira espontânea, sem a necessidade de intervenção.
  • Hemorroida grau III: fica exposta por meio do reto ou do ânus e sua redução carece de intervenção manual especializada.
  • Hemorroida grau IV: fica exposta por meio do reto ou do ânus e sua redução não pode ocorrer.

Os casos de maior gravidade ocorrem quando a hemorroida fica presa na região anal, dificultando seu processo de remoção. Com isso, o risco de formação de coágulos aumenta significativamente, podendo culminar naquilo que é chamado de “trombose hemorroidária”. O termo diz respeito às possíveis complicações do caso regular de hemorroida, terminando na necrose (morte permanente) do tecido do local acometido pela condição. Diante desse cenário, o médico especialista poderá requerer a intervenção cirúrgica para reparar as veias danificadas e proporcionar conforto e alívio ao paciente. Pode se tornar necessária a colocação de uma ligadura na região anal para a hemorroida diminua ou caia.

É importante salientar que ambos os tipos de hemorroida, tanto as externas como as externas, podem acontecer ao mesmo tempo. A coexistência entre os dois tipos de hemorroida é frequente entre toda a população. Contudo, como maiores atingidos, menciona-se o grupo de homens em mulheres na faixa etária que parte dos 45 anos e chega até os 65 anos.

Qual é a melhor forma de tratar?

Há uma série de procedimentos caseiros e uma lista de hábitos a serem adotados que trazem alívio para os que sofrem com a presença da hemorroida na região do reto ou do ânus. Por exemplo, a ingestão diária de pelo menos 2 litros de água, a adoção de uma dieta rica em fibras e a realização de banho de assento. Para preparar uma receita de banho de assento considerada altamente eficiente, é necessário ter em mãos:

  • 2 litros de água fervente
  • 3 gotas de óleo essencial de alfazema
  • 3 gotas de óleo essencial de limão
  • 1 colher de sopa de hamamélis
  • 1 colher de sopa de cipreste

Coloque todos os ingredientes em uma bacia limpa e esterilizada. Em seguida, despeje a água fervente e aguarde até que a mistura esteja em temperatura morna. Sente-se na bacia e assim permaneça por cerca de 20 minutos ou até sentir que a água esfriou. Esse banho de assento pode ser feito em uma rotina de até 4 vezes por dia ou conforme indicação de seu médico de confiança.

Dentro das opções de intervenções não-cirúrgicas, o paciente com hemorroida pode preferir por:

  • Injeções que visam desinflamar e desinchar as veias afetadas.
  • Tratamento de coagulação infravermelha que consiste em introduzir uma sonda em cima da hemorroida até que a mesma passe a coagular novamente graças a ação de uma luz infravermelha que a retrai até que retroceda completamente.
  • Aplicação de pomadas locais com o intuito de promover alívio tópico e diminuição de inchaço.
  • Ministração de anti-inflamatórios e antibióticos para tratar a dor e o inchaço da veia.

Todos aqueles que não buscam ajuda especializada após confirmar o diagnóstico de hemorroida correm o risco de sofrer com as consequências que a condição traz consigo ao longo prazo. Uma das possíveis complicações que seguem a falta de tratamento é a anemia, visto que o paciente com hemorroida pode perder consideráveis quantidades de sangue durante as crises. Consequentemente, a contagem de glóbulos vermelhos decai e o exame de acompanhamento acaba indicando o baixo nível de oxigênio nas células do corpo. Por outro lado, quem procura um proctologista para tratar da hemorroida o mais rápido possível, tem grandes chances de eliminar completamente o problema, evitando a recorrência. E, com base na observação da lista de tratamentos existentes, nota-se que atualmente as opções para apoio ao pacientes com hemorroida são muitas.

Existem remédios e pomadas?

As melhores pomadas para tratar os episódios de hemorroida são aquelas que atuam diretamente nos vasos inchados e inflamados, as quais são razão de incômodo intenso entre os pacientes. O efeito anti-inflamatório, antibiótico e até mesmo cicatrizante de algumas pomadas disponíveis no mercado faz com que as mesmas se tornem medicamentos altamente recomendados por profissionais da área da saúde, mais especificamente da proctologia, veja mais sobre pomada para hemorróida aqui.

Também é possível produzir pomadas caseiras para auxiliar no tratamento de hemorroida. Para produzir uma delas, basta possuir os seguintes itens:

  • 30 ml de parafina líquida
  • 30 ml de glicerina
  • 2 colheres de sopa de casca de hamamélis

Ferva a parafina e as cascas de hamamélis por cerca de 5 minutos. Em seguida, coe a mistura. Acrescente a medida de glicerina e misture bem até obter homogeneidade. Conserve a pomada caseira obtida em um pote com tampa firme e sempre dentro da geladeira, veja mais sobre médico de hemorróida aqui.

Além das já conhecidas pomadas, há também os cremes e os supositórios para auxiliar no tratamento da hemorroida. Ainda que temporariamente, ingredientes presentes nesses produtos, assim como a hidrocortisona, trazem alívio ao incômodo causado pelo inchaço da veia localizada na região retal ou anal. Por essa razão, não aplique cremes normais na região. Os efeitos colaterais são imprevisíveis, já que são de produtos destinados a uma finalidade distinta. A persistência na utilização de cremes não fabricados para o tratamento específico da hemorroida pode acarretar em alergia seguida de erupções cutâneas, piora no quadro inflamatório e afinamento da pele da região em questão, entenda mais sobre como tratar hemorróida aqui.

No caso de mulheres grávidas, é imprescindível consultar o médico que está acompanhando a gestação para colher sugestões de pomadas e outros medicamentos para uso durante crises de hemorroida. Automedicar-se nessa situação pode afetar negativamente o feto, dado que alguns remédios contêm em suas fórmulas ingredientes prejudiciais ao bebê e ao seu processo de desenvolvimento, veja mais sobre remédio para hemorróida aqui.

Aconselha-se que qualquer tipo de medicamento seja utilizado somente de acordo com prescrição médica especializada e que o tratamento passado não seja interrompido sem o conhecimento do profissional que prescreveu os medicamentos e a rotina de cuidados para reverter o caso de hemorroida.

Real Time Web Analytics

Clicky