Hemorroidas, por definição, são veias do canal anal que se dilatam devido a um processo de inflamação. Quando a hemorroida é externa, a dilatação é mais facilmente observada, pois a veia fica exposta para fora do ânus e o diagnóstico é feito sem grandes dificuldades. Quando o próprio paciente identifica os sinais clássicos da hemorroida, o diagnóstico se torna mais rápido, podendo ser facilmente validado pelo médico. Suspeite se reparar que:

  • Há sangue nas fezes e que o papel higiênico fica vermelho após a higienização que procede a defecação;
  • Há dificuldade na defecação, exigindo grande esforço para a completa eliminação das fezes;
  • Há dor no ânus quando as fezes são eliminadas ou quando se torna difícil realizar atividades simples como sentar ou realizar exercícios físicos;
  • Há saliência no ânus, podendo se apresentar em forma de fissura ou nódulo dolorido;
  • Há coceira no ânus;
  • Há surgimento de um líquido esbranquiçado no ânus.

As causas para o surgimento da hemorroida variam. No entanto, apontam-se razões como gravidez, prisão de ventre ocasionada por má alimentação, obesidade, pré-disposição genética, baixa ingestão de líquidos, prática recorrente de sexo anal, vida sedentária e falta de tratamento de diarreia crônica.

Como tratar Hemorroida Externa?

A hemorroida externa pode ser tratada de diversas maneiras. Apesar de o proctologista ser o único profissional capacitado para prescrever a melhor opção que levará o paciente ao alívio e à cura, alguns cuidados podem ser seguidos por aquele que está sofrendo com essa condição:

  • Banhos de assento: A ação da água morna sob a hemorroida proporciona alívio para o desconforto recorrente do inchaço. Trata-se de uma boa opção, pois o banho de assento pode ser realizado quantas vezes forem necessárias, além de apresentar custo reduzido e eficácia relevante. Observe como preparar um banho de assento sem sair de casa com:

– 5 colheres de sopa de castanha da Índia em pó

– 2 litros de água fervente

Misture bem ambos os ingredientes e, em seguida, deixe em descanso por cerca de 10 minutos. Disponha o líquido em uma bacia esterilizada e seca e sente sob a mistura ainda morna por mais ou menos 20 minutos. Ao realizar esse banho de assento, o paciente não pode estar vestindo roupa íntima. Recomenda-se também que o mesmo tenha se higienizado.

  • Dieta à base de fibras e grandes quantidades de líquidos: A fibra é responsável por regular o intestino e facilitar a evacuação, evitando com que o paciente precise realizar grande esforço para a liberação das fezes. Consequentemente, a veia já inflamada não é sobrecarregada e as dores diminuem consideravelmente. O consumo de pelo menos 2 litros de água por dia potencializa os resultados. Seguem algumas dicas de alimentos que devem estar presentes nessa dieta.

– Alimentos integrais em geral, bem como o pão, o macarrão e o arroz

– Verduras em tom verde escuro, por exemplo, a couve, o espinafre, o brócolis, a rúcula e etc.

– Grãos assim como o feijão, o milho e o grão de bico

– Frutas (de preferência sema remoção da casca), podendo ser a maçã, o mamão, o abacate, a ameixa e a uva

  • Pomadas tópicas: A aplicação de pomadas no local surtem bons efeitos de acordo com o princípio ativo utilizado na fabricação de tal medicamento. Pomadas para hemorroida podem ser analgésicas, anti-inflamatórias e até mesmo hidratantes. O próprio paciente pode preparar uma pomada caseira como alternativa, sendo que os ingredientes necessários para esse processo não são difíceis de encontrar. Veja um exemplo de receita a seguir.

– 60 ml de parafina em forma líquida

– 4 colheres de sopa de casaca de hamamélis

– 60 ml de glicerina

Primeiramente, ferva a parafina juntamente com a hamamélis por mais ou menos 5 minutos. Em seguida, coe a mistura e acrescente a glicerina. Misture novamente. Guarde a pomada caseira em um recipiente que possa ser bem fechado com tampa e conserve a receita em geladeira.

Existe remédio e cura para Hemorroida Externa?

Atualmente há algumas opções de tratamento que podem fazer com que a hemorroida regrida e pare de incomodar o paciente afetado por essa condição. No entanto, no caso da hemorroida externa, pode se tornar necessária a intervenção cirúrgica para que o processo de inflamação da veia localizada entre o reto e o ânus não afetem negativamente na qualidade de vida do paciente. A forma na qual a possível cirurgia será conduzida depende da avaliação do proctologista, profissional da área da saúde responsável pelo diagnóstico, tratamento e intervenção ao surgimento de hemorroidas em geral. Independentemente da necessidade de internação e aplicação de anestesia, o paciente pode ser submetido a uma cirurgia que (1) remove a hemorroida por completo, sem deixar resquícios ou (2) reinsere a veia de onde a mesma não deveria ter saído, colocando-a na parede do ânus para que não se externalize mais.